17 de ago de 2013

You'll be in my heart always - Capítulo 13

*Anteriormente*
(...) Depois nós jantamos e fomos dormir.

*No dia seguinte*
     Eu acordei eram 6:00, eu me virei e fiquei fitando o teto de meu quarto e, meio que automaticamente, toquei minha barriga. Ia ser difícil me acostumar com a ideia de que dali a 8 meses eu seria mãe, e ainda por cima de um filho dele. Foi só ai que eu percebi que eu era realmente uma irresponsável.
     Lembranças daquela noite me vieram a cabeça. Eu na verdade nem estava sóbria, eu estava ligeiramente bêbada, mas foi porque alguém colocara algo na minha bebida, porque, pelo que eu me lembre, eu só tomei refrigerante na festa.
     Aquela tinha sido uma das melhores noites da minha vida, mas depois do que ele me fez, aquela se tornou uma das piores. Bom, mais ou menos, foi a melhor porque por causa dela eu vou ter um filho. Mas infelizmente ele crescerá sem a imagem de um pai. Bom, tem o Jus... a esquece, ele não ia querer assumir o meu filho e eu nunca pediria nada desse tipo pra ele. Ah, vou tirar esse pensamento da minha cabeça.
     Eu me levantei, peguei minha toalha e fui pro banheiro tomar meu banho. Tomei um banho bem relaxante, coloquei uma roupa simples e desci as escadas em direção à cozinha. Ainda eram 06:40 e ninguém estava acordado ainda. Eu fui preparar o café da manhã e era bom o pessoal acordar logo, pois iríamos sair pra conhecer a cidade, bom eles iam conhecer e eu e a Tete iremos guiá-los.
     Foi só eu pensar isso que a Pattie e as meninas surgiram na cozinha. Elas me ajudaram com o café da manhã e, quando ficou pronto, os meninos desceram, com exceção do Justin. Eu fui até seu quarto para chamá-lo.

*Justin narrando*
     Acordei de um sonho que diria ser muito bom. Olhei no relógio e eram 06:00. Fiquei fitando o teto por um tempo, apenas pensando na Katherine. Em como ela era linda, adorável. Fiquei me lembrando da minha reação ao vê-la pela primeira vez, eu diria que parecia um bobo ao ver aquela menina perfeita em minha casa. Lembrei-me de quando conversamos no avião indo pro Canadá. Lembrei-me de todas as vezes que, no meio da noite, eu a puxava para perto de mim. Sim, eu sempre a puxava fazendo com que ela dormisse junto a mim.
     Eu queria tê-la só pra mim, mas na época ela tinha namorado. Agora não tem mais e ainda por cima está grávida dele. Eu diria que não consigo mais ficar próximo a ela sem beijá-la, coisa que tive vontade de fazer desde que eu a vi. Só não sei explicar o motivo. Foi como amor à primeira vista.
     Hoje nós vamos sair pra conhecer a cidade dela e ela e a Tete vão nos mostrar a cidade. Eu acho que vou pedi-la em namoro, eu preciso arriscar. Ela pode dizer não, mas eu não vou saber se não arriscar. Eu a amo, desde o primeiro momento que eu a vi.
     De repente, eu ouvi batidas na porta, quando olhei no relógio já eram 07:30. Nossa, fiquei uma hora e meia parado na cama.

Eu: Entre!
Kathy: Jus?! (abre um pouco a porta) O café tá na mesa, ok? E vamos sair daqui a pouco! (sorri)
Eu: Ah, ok! Só vou trocar de roupa.
Kathy: Tudo bem, estamos te esperando lá em baixo, Jus! (sorri)

     Eu sorri de volta e ela saiu do quarto. Eu fui pro banheiro, tomei um banho rápido e troquei de roupa. Desci as escadas e pelo visto só faltava eu pra tomar café. Depois todos saímos e fomos ver a cidade das meninas: Brasília.

*Katherine narrando*
     Depois que o Justin tomou café nós fomos fazer nosso tour por Brasília. Passamos pela catedral:



     Pelo Congresso Nacional:


     Pelo Palácio da Alvorada:


     Pelo Palácio da Justiça:


     Pela Praça dos Três Poderes:





     E, por fim, vimos um MARAVILHOSO pôr-do-sol na Ponte JK:


     Estávamos na ponte, quando Justin veio em minha direção, me abraçou por trás e disse que precisava falar comigo. Eu me virei para que pudesse olhá-lo e ele disse:

Justin: (...)





Continua...
E aí, o que estão achando??
O que acham que ele vai dizer??
Quem já sabe, como uma bela menina chamada Isabella Conte, NÃO DÊ SPOILER!! u.u
Quanto ao filme que eu vi ontem: MARAVILHOSO (ganha de 1000 a 0 no primeiro u.u) Bom, claro que algumas coisas que tinha no livro eles deviam ter colocado, mas mesmo assim adorei. É muito bom assistir na estreia com um bando de semideuses loucos gritando e fazendo comentários do tipo "OLHA MEU IRMÃO ALI" ou "MINHA FILHA" (tinha um amigo meu que tava vestido de Zeus com túnica, barba e cabelos brancos).
Enfim, vou responder aos comentários de vocês.

Respondendo aos comentários:
Isabella Conte - kkkkk eu te disse que você fica horrível loira e, desculpa ae se não sou um gênio no photoscape (é o programa que eu usei) foi o único jeito de te deixar loira e de olho verde asuhaushaushua Ficou bizarro, mas fazer o que. u.u
nana !♥! - Errou e calma muié, num da spoiler naum u.u kkkkk me fala, tem UM dia que vc não esteja ansiosa????? Acho que não, ein?? kkkk Love u too ♥
♥Isa - Continueeeeei =D
Imagine Belieber... - Segui ;) e divulguei ;)
Sara Frazao - divulgo sim, anjo ;)

DIVULGANDO:

CONTINUA COM 3 COMENTÁRIOS!
Beijinhos pra vocês, amores! =*
Clarinha (@ClaraVeras)

16 de ago de 2013

Capítulo 16 - Pesadelos no hotel

      Eu fui até o banheiro, para fazer minha higiene pessoal antes de dormir, e, quando voltei para o quarto, vi Perseis na varanda olhando para a lua com as mãos nos lábios e um sorriso bobo no rosto. Ela estava pensando em Eric?

      "Sim. Teria sido um beijo super romântico se ela não tivesse estragado tudo.", disse Afrodite, surgindo ao meu lado.

      Ela era INCRIVELMENTE bonita, seu rosto mudava como o das famosas atrizes de cinema, mas então, depois de observá-la melhor pude notar que ela tinha cabelos longos e brilhosos, uma pele impecável, uma leve maquiagem que a deixava ainda mais maravilhosa e ela cheirava a jasmim. Por um momento, me senti um lixo por estar ao lado de alguém tão bonita.

      - Eu já tinha preparado tudo. - disse ela fazendo beicinho. - Ia ser maravilhoso, eu já havia impulsionado Eric e ia sair tudo lindo. Mas NÃÃÃÃÃÃO, essa garota estragou tudo! Quando não é Ares, é ela! Assim não dá.

      Olhei para ela, ela retocava o batom e estava extremamente irritada. Depois ajeitou os cabelos e suspirou.

      - Bom, pelo menos eu ainda consigo atingir os sentimentos dela. Veja ela está pensando no beijo. Ingrata. Mas, ok, não desisto ainda. - ela disse e virou-se para mim. - Beijinhos, querida! Ah, durma bem.
      - Obrigada! - eu disse.

      Virei meus olhos para não vê-la em sua forma real, ou seria queimada viva, por causa do poder. Quando ela se foi, tudo o que restou dela foram o cheiro de rosas no ar. Minhas flores favoritas. Sorri sozinha e fui até a varanda onde Perseis estava.

      - E aí, pensando no Eric? - perguntei, fazendo-a se assustar.
      - Não. Por que eu estaria pensando naquele idiota? - perguntou, tentando disfarçar.

      Eu ri baixinho. Olhei para o céu. Não tinha muitas estrelas e a lua cheia iluminava o céu. Por um momento pensei na minha família, pensei no quanto sentia falta da minha mãe, do James, do Jackson e da Katerine. Perseis olhou pro céu também. Não sabia o que ela estava pensando, se pensava em sua mãe, no Eric, no Mike, em mim, ou em algo que possa tê-la incomodado de alguma forma.

      - Perseis, tá tudo bem? - perguntei.
      - Ahm, tá sim. - ela disse e sorriu.

      Sorri de lado. Ela me olhou, mas eu sabia que não devia perguntar mais nada, se ela quisesse me contar ela me contava. Comecei a mexer na pulseira que Jen me dera, o caduceu de Hermes balançava com um pouco da ajuda do vento. Talvez por isso meu pai não me reclamou, talvez eu seja filha de Hermes.

      - Mai, vamos dormir? - perguntou Perseis. - Amanhã teremos um... longo dia.
      - Verdade. - eu disse e a acompanhei de volta ao quarto.

      Depois de entrar, apenas encostei a porta que dava para a varanda, pois estava fazendo calor. Me deitei na cama de casal ao lado de Perseis. Cada uma dormiu de um lado da cama. Fechei meus olhos e acabei adormecendo em pouco tempo.



      Meu sonho começou estranho. Flashbacks de momentos desde que eu saíra do Brasil para Nova Iorque no começo de minhas férias. Passou pela minha cabeça: imagens de Bía me abraçando no aeroporto, eu e minha família em nosso chalé em Montauk, Long Island, minha luta contra o telquine, os rostos de Grover, Percy e Annabeth ao me encontrarem na praia, o Acampamento Meio-Sangue, minha primeira conversa com Derek depois da Drew ter me zoado, minha primeira noite no chalé de Hermes (quando conheci a pequena Jen), meu primeiro treinamento com Eric.
      Então as imagens começaram a se acelerar um pouco. Imagens de quando recebi a minha missão ao encontrar Rachel, quando reencontrei Perseis, os momentos ao lado de Eric e os ao lado de Derek, as brigas entre Eric e Perseis, a luta com as fúrias, a conversa que eu tivera minutos atrás com Perseis.
      E foi aí que tudo se dissolveu e eu estava agora na montanha próxima às placas de Hollywood. Em minha frente se encontrava Jápeto, mas acho que ele não notou minha presença, olhava para alguém do meu lado. Quando pude ver quem era, percebi que era Derek. Pelo visto ele também vinha tendo pesadelos com Jápeto.

      - O filhinho de Apolo. - disse Jápeto. - Você deveria ter se juntado a mim quando te dei a chance, assim como dei a chance aos seus amigos.
      - Eu nunca me juntaria a você e eles também não. - disse Derek.
      - Entendo. Então, lamento lhe informar, mas o seu pesadelo irá se realizar.

      Derek estremeceu e eu pude ver que algo o preocupava, então, por um momento, eu via o que ele via. Uma flecha fora atirada em minha direção durante a batalha, e algo me dizia que isso ia realmente acontecer. Dessa vez eu estremeci, então era por isso que Derek não dormia muito bem a noite e estava com olheiras. Ele sonhava com a minha morte toda noite.
      De repente, tudo escureceu e uma voz gélida, profunda e totalmente assustadora, a mesma de quando cai do pégaso com Derek, invadiu minha mente.

      "Ah, minha querida, mas você não vai morrer. Não ainda.", disse a voz, "Isso é o que ele pensa."

      Então imagens que, por algum motivo eu sabia que eram da nossa batalha contra Jápeto, apareceram em minha mente. Meus amigos feridos, alguém gritando "Nãão", uma flecha vindo em minha direção e, o que me deixou completamente apavorada e sem chão, o rosto de Derek em meu colo, seu rosto estava gélido. Ele estava morto.



      Acordei gritando "NÃÃÃÃÃO" e me sentei de uma vez, eu chorava e suava frio. Perseis se assustou com meu grito e levantou do mesmo jeito que eu, a única diferença é que ela tacou o braço no meu nariz. Cara, aquilo doeu. Coloquei a mão no nariz.

      - Ai, meus deuses, Maia, me desculpa! - disse Perseis, preocupada. - É porque você me assustou. O que aconteceu?

      Eu não conseguia falar nada. De repente, bateram na porta. Perseis foi atender e Eric entrou no quarto desesperado. Ele me viu na cama chorando, a dor em meu nariz já não era mais tão grande. Ele se sentou na cama ao meu lado e me abraçou. Eu não conseguia parar de chorar.

      - Mai, o que aconteceu? - perguntou ele, separando o abraço e passando as mãos pelo meu rosto.

      Eu não conseguia falar nada, ainda estava em choque com o que vi em meu sonho. A única pessoa que vinha em mente agora era Derek. Eu preciso vê-lo e me assegurar de que ele está bem.

      - De... Derek. - eu disse com dificuldade. - Eu... preciso... ver... o-o... Derek.
      - Eu vou chamá-lo. - disse Percy, que só agora eu percebi que estava no quarto.

      Percy saiu do quarto e Perseis se sentou ao meu lado na cama. Eles tentavam me acalmar, mas eu precisava ver Derek. Esse pesadelo acabou comigo, eu preciso vê-lo, saber se ele está bem. Então, bateram na porta, Perseis foi atender a porta, eu soltei o abraço de Eric e ele se levantou. Logo Derek entrou correndo no quarto, me viu e me abraçou. Eu ainda chorava muito, aquela imagem dele morto foi horrível, seu rosto gélido, e agora ele estava aqui, eu sentia o calor de seu corpo contra o meu. O pessoal saiu e nos deixou a sós no quarto.

      - Calma, Mai, eu to aqui. - disse Derek com uma voz suave e calma. - Já passou, foi só um pesadelo.

      Eu continuei chorando. Ele se deitou na cama ao meu lado, me puxou devagar e fez com que eu me deitasse sobre seu peitoral. Eu posicionei minha cabeça de forma que eu pudesse ouvir as batidas de seu coração. Ele fazia carinho em meus cabelos ondulados, eu ainda estava suando e algumas lágrimas percorriam meu rosto, mas eu já estava mais calma, apenas por ele estar junto de mim. E assim, acabei adormecendo.









Continua...
Ooooi, meus amores!!!!!!!! Como vocês estão??
Eu estou ótima!! Sabem por que? Hoje estreia "Percy Jackson e o Mar de Monstros"!! *---* E eu vou assistir em 3D hoje!!!!!!! AAAAAAAAAH!!!! Sabem como vou vestida?? Vou vestida igual a Maia!!! *-* e a Isa, a outra escritora dessa história, vai de Perseis! Vamos DIVAR naquele cinema!! haha
Enfim, vou responder os comentários de vocês!! =D

Respondendo aos comentários:
nana !♥! - kkkk ok, mana, não sumo mais. Continuei, meu anjo! Não tenha um pequenino, meio gigante heart attack kkkkkkkk Obrigada, minha linda e LOVE U TOO! ♥

CONTINUA COM 2 COMENTÁRIOS!
Beijinhos, cupcakes!! =*
Isa e @ClaraVeras

8 de ago de 2013

You'll be in my heart always - Capítulo 12

*Anteriormente*
Tete: Você aproveita e se consulta com a sua médica de sempre. (sorri)
Eu: É... (sorri de lado)

      Depois disso todos fomos arrumar as coisas para irmos pro Brasil. Eu arrumei só uma malinha simples, porque não íamos ficar muito tempo lá, afinal as aulas começariam depois do ano novo. Íamos passar só cinco dias, pro Justin e a Pattie conhecerem um pouco do Brasil. Bom conhecer a capital do país, que apesar de não ter praia é maravilhosa. (minha cidade *-*)
      Justin disse que íamos no jatinho dele, então nem me importei com as passagens. No dia seguinte estaria de volta ao meu país.
      O pessoal ia dormir na casa da Pattie, as meninas no meu quarto e os meninos no do Justin. Todos fomos dormir cedo, porque amanhã seria um dia cheio.

*No dia seguinte*
      Acordamos, nos arrumamos, pegamos as malas, chamamos um táxi e fomos rumo ao aeroporto outra vez. Eu havia avisado meus avós que iria para o velório dos meus pais, e eles disseram que estariam me esperando no aeroporto. Todos iam ficar hospedados na minha casa.
      Entramos no jatinho de Justin, que era grande e lindo. *-*



       E seguimos pro Brasil.

**

      Chegamos em Brasília. Meus avós estavam me esperando no aeroporto. Eu os apresentei aos meus amigos e como eles falavam inglês foi mais fácil. Eles haviam alugado uma van para que coubessem todos. Eles nos deixaram na minha casa e depois foram resolver algumas coisas pro enterro de amanhã. No Brasil estava tão quente que assim que entramos em casa, eu e as meninas fomos trocar de roupa e colocar roupas mais leves (lê-se: short e camiseta). O velório seria no dia seguinte, e era tarde quando chegamos. Ficamos conversando um tempo, depois eu e Pattie fizemos o jantar. Jantamos e depois dormimos, pois todos estavam exaustos por conta da viagem.

*No dia seguinte*
      Hoje é dia do velório de meus pais. Todos iriam. Mesmo sem tê-los conhecido, o pessoal insistiu em ir pra me fazer companhia. Eles eram uns amigos e tanto. Nos vestimos (lê-se: meninas e Pattie - vestidos e sapatos pretos; meninos - terno preto) e fomos pro cemitério.


      Toda a minha família estava lá e alguns amigos de meus pais também. Não me surpreendi ao ver os pais de João ali, afinal depois que começamos a namorar, meus pais e eles se tornaram muito amigos. Eu e o pessoal nos sentamos na frente. Olhares foram direcionados a nós, acho que as razões eram eu, por ser filha das pessoas que seria sepultadas, e Jas, Selly e Justin, por serem famosos.
      Me pediram pra fazer um discurso em homenagem aos meu pais e eu o fiz. Eu diria que chorei mais do que falei. Não havia palavras para descrevê-los. Depois de mim, Tete também fez um discurso e eu fui chamada novamente para tocar algo em homenagem a eles. Eu peguei meu violão e comecei a tocar a música deles: "Against All Odds (Take a Look at me Now)", Phil Collins.
      Depois disso eles foram levados para serem sepultados e Justin segurava em minha mão a todo o momento. Ele estava me ajudando muito fazendo isso, na verdade só a presença de meus amigos ali me trazia mais segurança.
      Depois que eles foram enterrados, eu coloquei um buquê de rosas vermelhas no local de minha mãe e um buquê de rosas brancas no de meu pai. Depois todos vieram me dar os pêsames. Exceto minha prima que ficou dando em cima do Justin. Os pais de João vieram me dar os pêsames e me disseram que o João disse que eu havia dito a ele que estava grávida.

Eu: Na verdade, estou sim, mas não precisam se preocupar com isso. Eu nem vou estar aqui. Eu vou ficar morando em Atlanta, vou arrumar um emprego por lá mesmo.
Joice (mãe João): Tudo bem, mas qualquer coisa pode falar com a gente, ok?
Eu: Posso fazer uma consulta com você hoje a tarde? Sabe, pra confirmar, porque o exame que eu fiz foi o de farmácia.
Joice: Você sabe que sempre pode ir se consultar comigo. Sempre foi comigo, não foi?
Eu: É! (sorri)
Junior (pai João): Temos que ir, e de novo, meus pêsames, Katherine.
Eu: Obrigada por terem vindo! (sorri)

      Você deve estar se perguntando: "Por que ela marcou com a mãe do ex pra uma consulta?", acontece que a mãe do João é a minha ginecologista. Foi assim que eu o conheci melhor. Bom, depois que os pais dele foram embora, eu fui chamar o Justin pra irmos pra casa. E a minha prima ainda estava lá dando em cima dele.

Eu: Oi, Sophie! (olhar de "sai de perto dele")
Sophie: Katherine!

      Sim, a minha prima que ficava dando em cima do João e que inventou aquela história do namoro de verão. Ela tinha tingido o cabelo de loiro e agora usava lentes que deixavam seus olhos verdes. Parecia uma Barbie mal feita. ¬¬'


      Ela sempre gostou do João, só que eu namorei com ele. Agora só porque eu terminei com o João e apareci com o Justin ela vai dar em cima dele? Sim, eu estou ciúmes. Com ciúmes não, MORRENDO de ciúmes! ¬¬' Não quero que essa loira oxigenada roube o Justin de mim. De mim, não no sentido de... ah, vocês me entenderam! u.u

Eu: Jus, o pessoal tá esperando. Vamos?
Sophie: Não, ele vai ficar comigo, né Juju?
Justin: Na verdade, eu vou com a Kathy! Tchau, Sophie!
Eu: (cara de "TOMA VADIA")
Sophie: (cara de "OMG! EU NÃO ACREDITO QUE ELE DISSE 'NÃO' PRA MIM)

      Justin segurou em minha mão e fomos na direção do pessoal. Eu fiquei feliz dele não ter ficado com ela. Ela poderia tentar fazer com que ele não confiasse mais em mim, como ela fez com o João.

Eu (olha pra ele arqueando uma sobrancelha): Juju, é?
Justin: Ela que começou a me chamar assim. Sinceramente prefiro o apelido que você me deu. Não gostei desse apelido, "Juju". (sorri)
Eu (risos): Só você mesmo, Jus!

      Nos encontramos com o pessoal e depois fomos pra casa. Almoçamos e depois eu avisei ao pessoal que ia me consultar com a ginecologista. Me vesti assim:


      E eu fui.

*Chegando lá*
      A Joice já estava me esperando pra me consultar, eu entrei consultório dela e ela mandou eu me sentar. Em sua mesa havia uma foto minha e de João, ele estava me abraçando por trás e nós estávamos no parque da cidade. (foto)

Joice: Então, podemos?
Eu: Claro!

      Eu fiz os exames com ela e depois ela me pediu que aguardasse um pouco na sala dela, enquanto ela fazia o diagnóstico. Depois ela veio e me disse o diagnóstico final.

Joice: Bom, Katherine, meus parabéns! Você está grávida! (sorri)
Eu: Ai, meu Deus! (lágrimas percorreram meu rosto)
Joice (senta na cadeira ao meu lado): Por que está chorando, linda?
Eu: Porque o filho é do João.
Joice: Sim, e... (ela hesitou esperando que eu continuasse)
Eu: E... acontece que seu filho terminou comigo no Natal. Ele acha que sou uma mentirosa.
Joice (indignada): Meu filho fez o quê? Terminou com você por telefone?
Eu: Foi. Mas tudo bem, Joice. Não se preocupa que eu to bem e vou ficar bem. Tenho amigos que vão me apoiar, sem falar na Pattie, a moça que vai me acolher nesse ano por causa do intercâmbio, ela teve o Justin cedo também e foi mãe solteira. Ela e o filho dela vão me apoiar.
Joice: Seus amigos eram aqueles que estavam no velório com você?
Eu: Sim! (sorri)
Joice (sorri pra mim): Tudo bem, Kathy, mas se precisar de ajuda, qualquer coisa você pode me pedir, tá? Afinal tem um neto ou uma neta meu aqui! (põe a mão na minha barriga)

      Eu sorri. Joice sempre foi muito boa comigo. Depois daquela conversar eu agradeci à ela e voltei pra casa. Assim que eu cheguei o pessoal estava na sala me esperando para saber no que tinha dado a consulta.

Tete: Então, como foi consulta com a Joice?
Todos-eu&Tete: Joice?
Eu: É, minha ginecologista e minha ex-sogra.
Todos-eu&Tete: O.O
Eu: Eu sei, estranho né? (respira fundo) Mas, enfim, eu to mesmo grávida. Mas não sei como vou fazer a partir de agora. O meu filho vai crescer sem a imagem de um pai. Mas tudo bem. Eu vou conseguir. Como fiz o Justin: Never Say Never!

      Eu olhei pra eles e eles vieram me abraçar. Depois ficamos conversando sobre o que faríamos nessa semana aqui e como seria o Ano Novo. Sim, vamos passar o ano novo aqui. Justin estava meio pensativo, mas acho que não estava pensando sobre o assunto que discutíamos. Depois nós jantamos e fomos dormir.

*No dia seguinte*
      (...)







Oooi, meus cupcakes!!! ;3
Como vocês estão??
Eu acabei de me matricular na universidade!!! *-*
Pois é, universidade! haha
Vou responder aos comentários de vocês!! ;D

Respondendo aos comentários:
nana !♥! - kkkkk sabia que você ainda se lembrar kkkk e é, tadinha dela. =/ Mas enfim, você sempre, SEMPRE, está ansiosa haha Continuei, DIVA! ;D
@tha_belieber - Pois é, tadinha dela! ;/ ownt... continuei, flor! ;)

CONTINUA COM 2 COMENTÁRIOS!
Beijinhos pra vocês!! ;*
Clarinha (@ClaraVeras)