31 de mai de 2013

Capítulo 12 - Brigas

      Derek e Bía (que havia conseguido se soltar) atiravam flechas desintegrando alguns ciclopes. Eu lutava ao lado de Percy, golpeava os ciclopes com a minha espada e me esquivava de ataques facilmente, eu me sentia estranhamente renovada depois de me refrescar. Nice e Mike formavam uma ótima dupla no ar e cortavam cabeças fora com gosto e ódio. Perseis lutava com vontade, golpeava os ciclopes com sua lança e fazia movimentos rápidos e precisos, iguais aos de Mike. Eric lutava ao lado dela, aparentemente tentando se mostrar, o que não deu muito certo, pois ela não deu a mínima.
      Foi uma bagunça de flechas, gritos, raios, sangue... mas no fim, vencemos. Eu tinha um corte na bochecha que ardia e sangrava um pouco e tinha também alguns pontos doloridos pelo meu corpo, onde com certeza dariam lugar a hematomas. ¬¬'
      Todos estavam relaxando e gemendo quando de repente Perseis aponta a lança para o peito de Eric, ela estava respirando com dificuldade e parecia exausta, mas pelo olhar dela dava pra ver que queimava de ódio.

      - POR QUE ENTROU NA MINHA FRENTE? ERA A MINHA LUTA! - berrou ela.
      - EU TAVA TENTANDO TE PROTEGER! - berrou ele.
      - MAS NÃO PRECISAVA! EU FUI TREINADA PRA ACABAR COM QUALQUER UM QUE ENTRE NA MINHA FRENTE!
      - MAS EU SOU FILHO DE ARES!
      - DANE-SE! EU FUI CRIADA NO ACAMPAMENTO JÚPITER! - ela estava quase lacrimejando. - VOCÊ É UM LIXO PERTO DE MIM, PORQUE EU QUASE MORRI MILHÕES DE VEZES NAQUELE ACAMPAMENTO.
      - LIXO?

      Ele pegou a espada, bateu na lança dela, tirando-a da frente de seu peito, e eles começaram a lutar. Eu ia impedir, mas Percy me deteve.

      - Você não teria a menor chance de separá-los. - ele disse.

      Olhei para os dois e era verdade. Eles lutavam com ódio, eram movimentos rápidos e precisos. Eles se esquivavam de golpes e atacavam como animais. Eric era incrivelmente forte, eu já teria morrido, mas Perseis nem parecia se importar, lutava igualmente.
      Meus deuses! Como ela conseguia? Eric conseguiu feri-la algumas vezes, e ela a ele. Estava saindo do controle. Eles já estavam bastante machucados e sangravam muito.

      - CHEGA! - berrou Mike.

      Ele fez um movimento com as mãos e um jato de ar acertou os dois, jogando um pra cada lado.
      Eles estavam no chão, Eric se sentou e respirou com dificuldade, ele tinha um corte profundo na perna e alguns nos braços, sua blusa também tinha cortes. Ele segurava a perna ensopada de sangue e gemia.

      - Ela... Ela não caiu. - ele disse baixinho. - Nem uma vez. Ela me... me feriu. Nunca ninguém me feriu... QUE TIPO DE MONSTRO É VOCÊ? - ele berrou para ela.

      Perseis estava encolhida, com a cabeça enterrada nos joelhos e... ELA CHORAVA. Me soltei de Percy e corri em sua direção.

      - PERSEIS! Meus deuses, olha pra mim! O que foi? - eu disse, preocupada.

      Ela levantou o rosto e eu pude ver um corte centímetros acima de seu olho e o sangue escorria pelo seu rosto. Ele quase a cegou? Eu vou matá-lo. Vi também um corte nos lábios e nos braços dela. Ela não disse nada, só abaixou a cabeça e chorou mais. Mike correu até ela e a abraçou, ela enterrou o rosto e continuou a chorar.

      - De ninguém. Lembra? Você não precisa de ninguém. - sussurrou ele, enquanto passava a mão nos cabelos dela.
      - Eu... posso. Não sou tão inútil e fraca. Até fora daquele inferno de acampamento eu sofro. Eu sei me virar. - disse ela, entre soluços abafados.
      - Perseis, me escuta. Dane-se eles, você não dá azar e não é inútil. Pode destruir qualquer um. Não viu o Eric? E ele é filho de Marte! Guerra corre no sangue dele.

      Ele levantou o rosto dela, secou suas lágrimas e lhe deu um beijo na testa. Deixei os dois e fui em direção ao Eric. Ele tinha acabado de se levantar e eu meti um soco na cara dele, que fez ele cair no chão de novo. Ele já tinha me dito que eu tenho a mão pesada e que se eu batesse nele, iria machucá-lo. Acabou que doeu nele e EM MIM! Balancei a mão e gritei um "Ai".

      - Ficou maluca, Mai? - perguntou Eric, esfregando a bochecha.
      - VOCÊ CALA A BOCA! - eu gritei, enquanto esfregava a mão. - Você é um imbecil! Quase matou a Perseis! Era isso que você queria? Depois de tudo o que você me fala, você ainda faz isso com ela?

      Eu dei um tapão na cara dele que chegou a ficar a marca da minha mão no rosto dele. Eu ia dar outro, mas Derek e Bía me impediram. Eu me debati, mas foi em vão.

      - Eric, eu aguentei muito tempo. Aguentei todas as brigas, todas as vezes que você me matou de vergonha e agora isso?! Você quase matou ela! Eu te disse que me importo com ela, que ela é quase como uma irmã pra mim e você vem e quase deixa ela CEGA? - eu gritei. - Eu te odeio! Você ainda teve a cara de pau de dizer que se importava com ela, que gostava dela.

      Xii, falei demais. Ele se levantou com ódio e veio mancando em minha direção. Eu me soltei de Derek e Bía e fiquei de frente pra ele. Perseis havia soltado um "O QUÊ?" quando me ouvir dizer que ele gostava dela.

      - Você não devia ter dito isso! - ele disse.
      - Vai fazer o quê, ein, Eric? - eu disse.
      - É assim que você retribui tudo o que eu fiz por você, Maia? Quantas vezes eu não te protegi? Quantas vezes eu não cuidei de você? Eu te ajudei tantas vezes, e você agradece assim?
      - A Perseis é minha prioridade, Eric. E você sabe disso!
      - Agora eu entendi porque seu pai ainda não te reclamou. - ele disse me ignorando e morrendo de raiva. - Porque você é uma mal agradecida.

      Eu não acredito que ele me disse isso. Eu estava completamente perplexa. Tentei conter minhas lágrimas, mas foi inútil, elas já percorriam meu rosto. O rosto dele relaxou e ele percebeu que tinha feito uma burrada maior ainda da que eu fiz.

      - Mai, me desculpa! - disse Eric, tentando me abraçar.
      - ME SOLTA! - gritei, me afastando dele. - Como você teve coragem de dizer isso pra mim? Depois de tudo que eu te disse. Depois das lágrimas que eu já derramei na sua frente por causa disso, você teve mesmo coragem de dizer isso PRA MIM? - eu perguntei, mas fiquei sem resposta.
      - Calma, calma. Pera aí! Eu entendi bem? - disse Perseis, se levantando. - VOCÊ GOSTA DE MIM? - referindo-se a Eric.

      Ele não disse nada, só fechou os punhos e a encarou.

      - EU? Justo EU, que sou a única pessoa que te xinga, te enfrenta e briga com você? - ela perguntou.
      - É, TÁ LEGAL! Você é diferente, fora dos padrões. SEI LÁ! Me atraiu. - ele disse. - Mas não se preocupe, que depois de hoje NUNCA NADA VAI ACONTECER! - berrou.

      De início Perseis parecia ter ficado até comovida com o que Eric dizia, mas quando ele começou a berrar, ela fechou a cara.

      - ÓTIMO! EU TENHO NOJO DE VOCÊ! - ela berrou.
      - OLHA AQUI PERSEIS, EU... - ele berrou.
      - PAREM VOCÊS DOIS! - berrou Derek, interrompendo a briga.

      Saí andando dali, mas minha cabeça começou a doer muito. Coloquei minhas mãos nela e urrei de dor. Me ajoelhei no chão, senti pessoas ao redor, mas eu não podia ouví-las. Meus olhos estavam fechados e o que antes era escuro, se tornou um local claro, como um campo de terra. Estava na montanha que tem a placa "Hollywood". Um gigante se encontrava em minha frente. Quem era ele?

      - Me chamo Jápeto, querida Maia! - disse o gigante.
      - O que você quer de mim? - perguntei, com medo da resposta.
      - Simplesmente, matá-la, porque você é uma pedra no meu caminho para acabar com os deuses e tomar meu lugar de direito. Cronos foi muito fraco com aquele filho de Hermes, Luke, e o filho de Poseidon, Percy.
      - Nós vamos impedí-lo!
      - Queridinha, você tem muita esperança e muita coragem. Eu gosto disso. Você podia se tornar uma de minhas seguidoras.
      - NUNCA!
      - A escolha é sua. Boa dor de cabeça e com desmaio pra você.
      - O quê?

      Foi a única coisa que eu consegui dizer antes de voltar para a dor de cabeça e desmaiar.










Continua...




Oie, meus cupcakes!!!! ;3
Como vocês estããão?????
Bom, eu estou bem obrigada por perguntarem! kkkk
Viram o tanto de barraco que esses semideuses arrumam??? kkkkk 
Estou feliz, temos dois boyliebers lindos lendo a minha IB!!! *-*
Bem-vindos, lindos!!! <3
Leiam meu outro blog: Sonhos se tornam realidade
E também esse blog MA-RA-VI-LHO-SO: Imagine Belieber Escrito por um Boylieber
Ok, vou responder aos comentários de vocês porque sei o quanto estão esperando por isso! haha

Respondendo aos comentários dos cupcakes:
nana !♥! - Você não é tão ruim escrevendo, mana! Eu adoro suas histórias!! =) kkkk Continuamos! ;)  Não tenha um Heart Attack!!! kkkk Preciso de você mana!! ;3 Beijooos e te amo também! <3
Girl Of Potatos - kkkkkk ok, bb, e esse, foi WOOOOW???? kkkkk olha o tanto de barraco?! kkkkk
Guilherme Boylieber - Awn... *-* Obrigada, lindo! >.< E você é que é d+! ;D
Isabella Conte - kkkkk Santo Apolo, escrever aquilo e colocar aquelas imagens sem babar foi impossível! kkkkk Ele é muuuito gost.. digo, bonito kkkkk Nossa, imagina a gente fazendo esse filme e vendo essa cena???? Baba 1000000000000% kkkkkkk a gente ia alagar o studio kkkk hihihihihi postei mesmo! u.u  Posteeeei cunhada limda! ;*
Boylieber Danilo - Continuei príncipe! ;3 E seja bem-vindo, viu? E já divulguei, vo lá continuar a ler e comentar!!! >.<

CONTINUA COM 4 COMENTÁRIOS!
Beijinhos cobertos de SWAG pra todoooos!!!! ;*
Isa e @ClaraVeras

28 de mai de 2013

You'lll be in my heart always - Capítulo 10

Avisinho: Gente, eu tinha esquecido que tinha mudado o nome da amiga dela de Nathy pra
Stefani, então... onde antes vocês liam Nathy, agora vão ler Stefani, ok? Aqui já consertei
o erro!!! =S

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

*Anteriormente*

Justin: Um bobo que você ama! (chegando mais perto)
Eu: (...) Ahm, Jus. (empurra um pouco ele) Eu... não to preparada pra outro relacionamento agora. Eu já te disse isso.
Justin: Mas, Kathy, eu te amo! (se aproxima mais)

      Eu já disse que ele tava só de calça moletom e sem camisa? Eu o impedi de se aproximar mais.


Eu: Eu... já disse que não, Jus. Eu simplesmente não consigo.
Justin: Mas você não pode se prender ao passado! Então, por que? (olha pra mim e eu não respondo) Por que? (e de novo) POR QUE? (gritando)
Eu: PORQUE EU TENHO MEDO! (gritei) Droga! Tenho medo de que você me largue por qualquer outra, tenho medo que você me esqueça, tenho medo de que você só brinque com meus sentimentos. (chorando) Eu não quero sofrer de novo. Entende agora? (olhei para ele e ele estava paralisado) Licença.

      Peguei um travesseiro e um cobertor e desci as escadas. Todos já tinham ido dormir, porque não tinha ninguém na sala quando cheguei. Eu estava chorando por ter brigado daquela forma com meu ídolo, meu amigo. Eu me arrumei no sofá e me deitei, mas  não consegui pregar os olhos. De repente eu ouvi o barulho da porta se abrindo e de passos de alguém entrando na casa e fechando a porta. Eu fiquei com medo. Eu dei uma espiada e vi uma sombra, era um homem alto, meio gordo. Ai meu Deus! Ninguém ali tinha aquela estatura.
      Eu estava para ter uma crise de pânico. Na verdade, eu estava tendo, só que silenciosamente. Ouvi os passos chegando mais perto. Ai meu Deus. Como eu estava em pânico a única coisa que eu consegui fazer foi tentar correr, mas fui agarrada, então comecei a bater na pessoa.

XxXx: Ai, para, Kathy, tá machucando!
Eu (olha direito pra pessoa): JUSTIN?! Seu IDIOTA! Eu achei que fosse um ladrão! Que ideia foi essa? Quer me matar do coração? Me larga!
Justin (me solta): Não tive a intenção! Achei que você tinha ido dormir em outro lugar, como na casa da Cait, mas nem sei porque pensei isso com você vestida assim. (olha pra mim de cima a baixo) Enfim, aí eu percebi que você estava no sofá e fui até você só que você saiu correndo feito doida e eu te segurei.

      Olhando agora, ele estava com um casaco que o deixava gordo. Ai meu Deus! Ele é um idiota, me assustou pra caramba! Mas também, quem mandou eu vir dormir aqui em baixo.

Eu: Tá bom, mas só te perdoo dessa vez!
Justin: Obrigado! (sorri) Agora vem, vamos dormir! (pega o travesseiro e o cobertor)
Eu: Obrigada! (sorri)

      Nós nos dirigimos até o quarto do Justin. Eu me deitei e ele também. Dormimos quase que no mesmo instante.


*No dia seguinte*
      Eu acordei, novamente primeiro que o Justin, e dessa vez estávamos dormindo mais colados do que da última vez. Será que eu me mexo tanto quando estou dormindo? De início eu fiquei assim --> O.O, mas depois eu fiquei assim --> *-*. Afinal, que Belieber não ia querer estar ali no meu lugar? Aconchegada no peitoral dele?


      Eu sorri ao vê-lo dormir como um anjo. De repente, eu senti um enjoo, eu me levantei apressada, corri para o banheiro e comecei a vomitar. Senti alguém segurando meus cabelos e percebi que era Justin. Ele deve ter se assustado quando me levantei rápido da cama. Eu terminei, dei descarga, lavei minha boca, fiz minha higiene pessoal e depois saí do banheiro. Justin estava sentado na cama, preocupado.

Eu: Que foi, Jus?
Justin: To preocupado com você. Por que você vomitou?
Eu: Ah, deve ser por causa de alguma coisa que eu comi ontem.
Justin: Hum...

      Peguei a roupa que eu ia usar pra ir viajar e fui tomar banho. Tomei um banho quente e relaxante, me enxuguei (não, ficou molhada! ¬¬') e me troquei.


      Quando saí do banheiro o Justin estava me esperando do lado de fora do quarto.

Justin: Nossa, você está linda! (sorri)
Eu (meio envergonhada): Obrigada!

      Nós descemos e todos já estavam lá, até o pessoal. Íamos todos juntos pra Atlanta. Cait nos viu e sorriu pra nós.

Cait: Olha, os pombinhos acordaram.
Eu&Justin: O quê? O.O

      Cait me puxou pra um canto da casa junto com as meninas.

Cait: Conta agora!
Eu: Contar o que?
Jasmine: Dã?! Sobre você e o Justin!
Eu: Não tem nada entre a gente!
Selena: Que é isso, a gente foi acordar vocês e vocês estavam dormindo bem abraçadinhos.
Eu: Bom, eu percebi isso hoje de manhã, mas ontem estávamos dormindo cada um do seu lado da cama. Isso vem acontecendo desde que cheguei.
Jasmine: Só pode ser o destino querendo juntar vocês.
Cait: Ownt... que romântico, Jas! (risos)
Eu: Ai, meu Deus! (risos) Isso é cheiro de...
Cait: Ovos e bacon.

      O cheiro de início estava delicioso, mas depois o enjoo voltou, então eu tapei minha boca com minha mão e corri para o banheiro mais próximo. As meninas vieram atrás de mim e me ajudaram, seguraram meu cabelo enquanto eu vomitava mais uma vez. Depois eu limpei minha boca e escovei os dentes. As meninas me olharam preocupadas.

Eu: Por favor, vocês também não!
Cait: Como assim "a gente também não"?
Eu: Ah, acontece que depois que eu acordei eu senti enjoo e sai correndo pro banheiro, o Justin me ajudou e depois ficou com a mesma cara que vocês.
Selena: Mas nós nos importamos com você, Kathy!
Jasmine: O que você tem?
Eu: Deve ter sido alguma coisa que eu comi, gente, só isso!
Meninas: Ok!

      Quando saímos todos estavam meio preocupados comido. Eu disse que não precisavam se importar, apesar de que venho sentindo esses enjoos desde que estava no Brasil. Mas eu não queria preocupá-los. Nós tomamos café da manhã e depois descemos com as malas. Nos despedimos dos avós do Justin e depois fomos em direção ao aeroporto. Chegando lá, fizemos o check-in e logo depois embarcamos. Assim que entramos no avião, a Cait me deu um remédio pra enjoo que ela tinha na bolsa. Eu agradeci e pedi um copo de água pra aeromoça. Depois que eu tomei o remédio eu voltei pro meu lugar e adivinha quem se sentou do meu lado? Se você pensou no Justin, você acertou. Dessa vez nem conversamos, eu estava com um pouco de sono, talvez por conta do remédio, me encostei na janela do avião e adormeci.

      Acordei com Justin me chamando dizendo que já tínhamos chegado. Estou de volta à Atlanta. Aqui estava frio, mas nem tanto quanto no Canadá, mas mesmo assim estava frio. Fomos pra casa da Pattie e eu sorri ao ver aquela casa novamente. Entramos e eu já fui ajeitar minhas coisas. Me sentei na cama e fiquei olhando pro meu quarto, eu havia retirado o casaco e o colocado pendurado perto da entrada da casa.
      De repente a campainha toca, eu estava saindo do meu quarto  quando fui atacada pelas meninas. Sério eu fui ATACADA! Elas até me derrubaram no chão! Primeiro a Cait, depois a Jas por cima e a Sel em cima da Jas.

Eu: Saiam de cima de mim, vocês tão me esmagando SUAS GORDAS!
Cait: Agora é que eu não saio daqui.
Jas&Sel: Nem eu!
XxXx: Minha vez de pular em cima dela.
Cait,Sel&Jas: AI, MEU DEUS! (saindo rapidamente de cima de mim)
XxXx: Ah, suas sem graça!
Eu: BISCATE!!! (abraço que a derruba)
Tete: BITCH!! Agora sai de cima de mim, SUA GORDA!!
Eu: Saio não!

      Depois que eu fale isso, eu senti o enjoo de novo e saí correndo pro banheiro. Vomitei, lavei a boca, depois escovei os dentes e voltei pro quarto.

Tete: Essa foi rápida, ein?
Eu (irônica): Engraçadinha!
Tete: Enjoo de novo?
Eu: (assenti)
Tete: Ainda não parou com os enjoos?
Sel: Pera aí, como assim "ainda não parou com os enjoos"?
Eu: Desde que eu tava no Brasil eu to sentindo esses enjoos.
Tete: Você me prometeu que se tivesse de novo íamos fazer.
Jas: Jazer o que?
Eu (sem graça): Teste de gravidez.
Cait,Jas&Sel: O-M-G! (se sentam na cama ao mesmo tempo)
Eu (revirei os olhos): Tá bom!
Tete: Eu já volto, vou na farmácia comprar e depois volto.
Todas-Tete: Ok!

      A Tete saiu e as meninas me fizeram sentar na cama, ficaram na minha frente e começaram a me fazer perguntas.

Cait: Você já fez sexo?
Eu: Já!
Jas: Com quem?
Eu: Com o João, meu ex.
Sel: E quando foi?
Eu: Mais ou menos uma semana antes de vir pra cá.
Cait: E como foi a primeira vez?
Eu: Bom, foi boa! (risos) Sei lá! Me senti diferente depois, mas se bem que... não me lembro direito de como foi exatamente. Minha mãe sabe que eu fiz, mas meu pai não. Eu não tive coragem de contar pra ele. E eu tenho certeza de que ele não seria irresponsável a ponto de não usar preservativo.
Sel: Mas muitas vezes o preservativo estoura...
Eu: Eu sei, Sel, mas se fosse assim minha... (me interrompi e comecei a contar)
Jas: Kathy, o que você...

      Eu fiz um sinal de "pera um pouco" e voltei a contar. Minha menstruação estava atrasada. Eu fiquei assim ---> O.O e elas se entreolharam meio assustadas. A Tete chegou com o teste de gravides, eu o peguei e sai correndo pro banheiro para fazê-lo.
      As meninas estavam sentadas na minha cama e quando eu saí elas me olharam.

Sel: E aí, o que deu?
Cait: Qual foi o resultado?
Eu: (...)










OOOOOOOOOOOOOIE, CUPCAKES!!!! :3
Como vocês estããããããão???? =D
Eu estou ÓÓÓTIMA!!! (carente, mas ótima kkkk)
Tem boyliebers lendo as IBs!!!! *O* Seu lindos, SEJAM BEM-VINDOOOOS!!!!
Vou responder os comentários de vocês!!

Respondendo aos comentários:
♥ Victoria Velloso ♥ - A-D-O-R-E-I vc ter voltado mana!!!! =D E eu sempre paro na melhor parte kkkkk Mas eu parei de postar no blog da Beeelle pq ela nao queria mais moderadores, ai num deu certo kkkkk mas agora ela ta de volta e eu vou ate o fim!!! ;D TE AMO MUITO MANA GATISSIMA! <3
@tha_belieber - Ownt... obrigada fofa! continuei!! ;D
nana !♥! - kkkkkk eu? DIVANDO? kkkkkk q é isso amore!!! =) demorei, mas continuei kkkkkk Te love more!!! <3
Isabella Conte - Me deixe com minhas histórias, dá licença!!! Que pelo menos na história eu posso!!!! u.u
@thamy_belieber - kkkkkkkkkk pois é, o Jus seduz demaaaaaais kkkkkk ele tentou, mas num conseguiu!! ;/ mas daqui uns caps ele vai conseguir haha iiiiiixi demorei pra postar, né?? =x sorry! te amo tbm amorecoooooo <3

CONTINUA COM 4 COMENTÁRIOS!
Beijinhos cobertos de SWAG pra vocêêês!!!! =*
Clarinha (@ClaraVeras)

18 de mai de 2013

Capítulo 11 - Ida a Phoenix

Como faz tempo que não posto aqui o cap anterior:

----------------------------------------------------------------------------------

       Primeiramente, estava tudo branco, então eu ouvi uma vozinha de criança: "Vem, Perseis, você tem que andar!".
       Uma cena apareceu, uma sala, duas mulheres sentadas no sofá e sorrindo, reconheci como minha mãe e a de Perseis. Duas menininhas estavam no tapete, me reconheci, eu devia ter dois anos, meus cachinhos estavam na altura do queixo e eu ria bastante. Amenina da frente devia ter um ano,cabelinhos lisos e grandes olhos azuis, Perseis.

       - Vamos, levanta! - eu disse, eu devia ter um pouco mais de um ano.

        Tentei levantá-la sem sucesso, então peguei nas mãozinhas dela e a puxei fazendo-a ficar em pé. Senti um arrepio estranho e a soltei fazendo com que Perseis caísse sentada e começasse a chorar.

       - Maia! - disse minha mãe em tom de reprovação.

       Então a cena mudou, me vi novamente só que agora com doze anos, Perseis estava lá também. Essa foi a última vez que a vi antes que eu virasse semideusa.

       - É uma pena que você vá se mudar para o Brasil. - disse Perseis. - Nem vai ficar para a minha festa de 12 anos.
       - Eu sei, desculpa. - eu disse, tristonha.

       De repente, Perseis arregala os olhos e sussurra: "eles me acharam.". Ela ficou alerta e olhava para os lados assustada, tentei ouvir qualquer coisa que pudesse estar assustando ela... Nada.

       - Perseis? - digo com medo de sua expressão. - O que houve?

        Perseis pegou minha mão e eu senti um arrepio. Ela largou minhas mãos como se também tivesse sentido o arrepio e me olhou.

       - Adeus, Maia!

       E saiu correndo.
       De novo a cena mudou, agora eu estava com 17/18 anos, parecia uma guerra, senti que estava a beira da morte. Vi Perseis no chão com um corte na perna, vi o pânico em seus olhos. Corri até ela e segurei sua mão, me preparando para morrer. De novo, um arrepio.


       Acordei de repente e me sentei. Eu ofegava e meu coração estava disparado. Passei a mão pelos cabelos, o que o sonho queria dizer? Eu fiquei olhando o céu e decidi me levantar para caminhar um pouco já que o sono não vinha. Olhei de relance para o local onde Eric deveria estar montando guarda, mas ele não estava lá. Meu coração acelerou, será que ele foi atacado? Preparei minha espada e fui andando é ante pé até escutar uns sussurros.
       Corri em direção ao barulho e quando me deparei com a cena me abaixei de imediato. Escondi-me atrás de algumas pedras e pude ver Eric e alguém que era forte, estilo motoqueiro, usava óculos escuros, mesmo estando de noite. Ele parecia estar zangado com Eric e foi aí que eu fui perceber que ele era seu pai.

       - Pai, eu... - começou Eric, mas foi interrompido.
       - Cale a boca! Isso é um desperdício, tanta destreza com armas, tanta força, guerra correndo no seu sangue e você joga TUDO ISSO fora para chamar a atenção de uma garota rebelde?
       - Ela não é só uma garota rebelde...

       Escutei um barulho de tapa.

       - Mandei calar a boca! Você podia muito bem completar essa missão sozinho. Se você quisesse, já tinha matado tudo que aparecesse na sua frente. Voltaria cheio de glória ao acampamento e não teria que dividi-la com ninguém. Nem mesmo com aquela menina que ninguém nem sabe de quem ela é filha. Ela nem merecia o seu respeito...
       - CHEGA! - gritou Eric, interrompendo Ares. - Eu não quero ser que nem você que engravida metade do mundo mas que é odiado por todos. Que só sente raiva e inveja. Eu vou SIM controlar minha vontade  de sair na frente, porque essa missão não é minha e sim da Mai, e eu vou SIM tentar conquistar a Perseis. E não vem me dizer que a Mai não merece o meu respeito, porque ela, entre todas as pessoas daquele maldito acampamento é a pessoa que mais o merece, porque ela não vê maldade nas pessoas e é ela quem me conhece, que conhece o meu verdadeiro eu, que eu planejo poder mostrar para a Perseis.
       - Filho, o que aconteceu com você? - disse Ares, tentando parecer mais calmo. - Esquece de uma vez essa garota e tome logo o seu posto de meu filho. Volte a ser aquele que você sempre foi.
       - Mas eu não quero isso! - disse Eric. - Eu já cansei de todos me odiarem porque sou convencido. Eu sei que tem horas que sou assim, mas eu também sou dessa forma que você odeia. Eu estou apaixonado pela filha de Poseidon e não há nada que você possa fazer para me impedir.

       Os olhos de Ares estavam em chamas, literalmente, e ele deu outro tapa na cara de Eric. E não foi um tapinha, foi um tapão que chegou a doer em mim, foi mais forte que o primeiro. Eles conversaram dessa vez mais baixo e eu não pude ouvir. Então, Ares desapareceu. Eric estava irritado, eu sabia disso pelo seu olhar. Eu ia falar com ele, mas eu sei que ele quer ficar um tempo sozinho. Se tem uma coisa que eu aprendi é a nunca mexer com um filho de Ares quando eles estão com raiva, se não eles te acertam com a espada.
       Eu me levantei e voltei para o nosso acampamento. Me deitei em meu saco de dormir e fiquei olhando as estrelas e as constelações que Annabeth me ensinara até cair no sono.


       Eu estava numa das cabanas de Long Island, a mesma que eu estava hospedada com minha família antes de ir para o acampamento meio-sangue. Minha mãe estava no sofá com meu padrasto e meus irmãos. Ela chorava muito, assim como os outros.

       - Não devia tê-a deixado sozinha, James. - disse minha mãe. - Eu te disse que aqui era perigoso pra ela.
       - Mas, Alexa, se ela encontrou o acampamento, ela está segura. - disse James. - Fique calma, meu amor, nós vamos encontrá-la. Eu sei que queria ficar com ela hoje, mas não dá.

       De repente, a imagem mudou, eu me encontrava numa espécie de monte, próximo às placas de Hollywood. Uma voz soou em minha mente dizendo:

       - Muito em breve nos encontraremos aqui, Maia Peck! - sua voz era forte e grossa. - Você está levando seus amigos para a morte certa.

       E tudo escureceu.


       Acordei e eu estava suada. Aquela voz me fazia estremecer. Fiquei pensando no meu sonho com minha família. Por que minha mãe queria ficar comigo hoje? Que dia é hoje? Que dia que eu saí em missão? 30? Eu preciso saber. O pessoal já estava acordado e Eric estava arrumando suas coisas ao meu lado.

       - Algum problema, Mai? - perguntou ele.
       - Que dia é hoje? - perguntei.
       - Ahm... - ele olhou em seu relógio. - 6 de agosto.

       Arregalei os olhos. Nossa, por isso minha mãe queria estar comigo hoje. Bía e Perseis vieram correndo até mim e me derrubaram no chão. Detalhe: eu tinha acabado de me levantar.

       - PARABÉNS, MAI! - disseram as duas em coro.
       - Obrigada, meninas, mas precisavam me derrubar? - perguntei.
       - Precisava sim. - disse Bía.
       - É tradição. - disse Perseis.

       Revirei os olhos. As duas pesadas me ajudaram a me levantar e todos vieram me dar os parabéns. Quando chegou a vez de Derek, ele beijou minha bochecha me fazendo "flutuar" de emoção e depois disse:

       - Feliz aniversário, pequena! E considere aquela música como um presente.
       - Obrigada! - eu disse, sorrindo.

       Depois de tudo isso, nós terminamos de arrumar nossas coisas, tomamos um rápido café da manhã composto de bolachas e água e logo voltamos a caminhar no calor do deserto.

**

       Andamos por umas quatro horas até que conseguimos chegar em uma das cidades do Texas, a cidade de San Angelo. Encontramos a rodoviária, almoçamos e embarcamos em um ônibus que seguia para Phoenix, Arizona. Dessa vez quem se sentou do meu lado foi Derek.

       - Então, o que está achando do seu aniversário de 18 anos? - ele me perguntou.
       - Bom, não é o melhor deles, porque estou numa missão suicida, mas está bom, porque estou acompanhada de você...e dos outros. - eu disse meio corada, e ele riu.
       - Você ouviu a minha música toda ontem?
       - Não. - respondi. - Você canta ela pra mim?
       - Só porque você me pediu e é seu aniversário.

       E ele cantou "Die in your arms" pra mim. Eu ouvi a música encostada com a cabeça em seu ombro. A música era tão linda e sua voz era tão perfeita que nem precisava do acompanhamento musical. Só da sua voz. Eu estava com sono, mas eu não queria deixar de ouví-lo cantar pra mim ou perder alguma parte daquela música. Quando a música acabou, eu acho que estava com um sorriso bobo no rosto. Ele beijou minha testa com ternura e depois seus olhos encontraram os meus. Eu não sei porquê, mas eu via medo em seu olhar. Era como se ele tivesse medo de perder alguma coisa. Medo de me perder. Foi só ai que eu reparei que ele estava com olheiras, como se não dormisse há dias.

       - Derek, você dormiu ontem? - perguntei.
       - Ahm... dormi, mas tive um pesadelo e depois não consegui mais voltar a dormir.
       - Qual foi o seu pesadelo?
       - Foi...

       De repente, o motorista do ônibus buzinou interrompendo o Derek e acabou que o ônibus morreu. Deve ter sido de tanto o motorista buzinar. Pelo menos foi perto de uma cidade que o ônibus quebrou.

       - Pessoal, precisamos que todos saiam do ônibus enquanto eu vou ver se consigo fazer com que ele volte a funcionar. - disse o motorista.
       - Não podemos ficar no ônibus? - perguntou uma moça. - Tá muito quente lá fora.
       - Senhora, em pouco tempo esse ônibus vai estar mais quente do que lá fora. - ele disse.

       Desembarcamos do ônibus, já estávamos no Novo México. Estava um inferno de quente, parecia pior do que no Texas, eu estava encharcada de suor. Eu e as meninas já tínhamos amarrado as blusas de forma que nos refrescasse mais tentando, em vão, evitar o calor. Prendemos os cabelos em coques frouxos feitos com o próprio cabelo, mas nada parecia funcionar.
       Devia estar uns 34ºC (ou mais), não conseguíamos nem andar direito de tanto calor. Sentamos no chão nos espremendo de baixo da sombra de alguns toldos de lojas da cidadezinha. Os meninos tiraram as camisas de novo (ui) e se jogaram no chão.
       Perseis abria rasgos na sua calça jeans com a ponta de sua bandana-lança para tentar se refrescar mais. Nice pegou sua adaga e cortou sua calça, transformando-a em uma bermuda na altura dos joelhos. Mike pegou a mochila de Perseis e socou lá dentro as camisetas e os pedaços de jeans da Nice.

       - Água! - Mike exclamou.

       Ele tirou de lá três garrafas de água. Decidimos usar uma para beber e as outras para matar a sede de todos. (OBS importante: completamente aprovado as barrigas definidas e os braços "volumosos" dos meninos!)
       Abrimos a outra garrafa e fomos jogando água no rosto na sequência: Bía, Nice, eu e Perseis. A sensação da água batendo no meu rosto foi a MELHOR COISA DE TODAS.

       - Derek! - ouvi Bía dizer enquanto eu derramava a água no meu rosto. - Seja menos discreto!
       - Ahm? Hum? Que? Não! Não fiz nada! Cala a boa, Bía! - ouvi Derek dizer.

       Não entendi muito bem, pois quando abri os olhos ele já a encarava com raiva. Passei a garrafa para Perseis e ela virou o que sobrou de água sobre ela. Eric ficou olhando bem no momento em que as gotas de água deslizavam pelo corpo dela. Ele seguiu as gotas de água até o momento em que elas começaram a percorrer sua barriga. Eric estava com uma cara de bobo, fui até ele e disse:

       - Eric, sabia que você está babando?
       - Ahm, o quê? - disse ele sem desviar os olhos.
       - Seja mais discreto, né? - eu ri.
       - Fica quieta, Maia! - ele disse, ainda sem desviar os olhos.

       Os meninos abriram a outra garrafa. Percy jogou a água nele e passou para Mike (ele era  o que tinha o tanquinho mais "ui" de todos), todas babamos. Meus deuses, que que é isso?! Nice estava boquiaberta e suspirosa.

       - Ai meus deuses, Perseis! É seu primo! Para! - disse Perseis, escondendo o rosto com as mãos.

       Desviei o olhar também, ele estava ficando com a Nice, eu tinha que me controlar. Mas a vontade foi maior e com o canto do olho dei uma espiada. Mas para meu azar (ou sorte né?!) quem estava com a garrafa era o Derek. Ele não tinha o tanquinho do Mike, mas OMFG QUE CENA PERFEITA! Ele estava lindo! Um pouco de água escorria pelo seu peitoral até a barriga, ele parecia um deus e...

       - Seca a baba, Maia! - sussurrou Perseis no meu ouvido.

       Me libertei do transe e fui tentar me defender, mas nem precisei, pois chegou a vez de Eric e nisso Perseis parou de rir e ficou uma cara de "que delícia", ela o encarava e mordia o lábio inferior. Ela tentou desviar o olhar algumas vezes, mas sem sucesso. Com o olhar, ela seguia algumas gotas que escorriam pelo corpo dele.

       - Meu... Senhor.... Amado... - ela disse, baixinho.
       - Como é mesmo? - disse eu fazendo cara de irônica. - Ah, é! Seca a baba!
       - Quieta! - ela me respondeu. - É só uma visão bonita, não quer dizer nada.

       A encarei com aquele olhar de "aham, sei" e ela me deu língua. Rimos juntas depois.

       - Então... - começou Percy. - prontos pra mais uns 500.000 km até Los Angeles?

       Gememos infelizes, mas levantamos. Os meninos se vestiram de novo e eu e as meninas voltamos as blusas ao normal, porque ninguém ali queria um câncer cabuloso de pele. Mas pelo fato de estarmos molhados, as blusas grudavam no corpo (ponto positivo: dava pra ver os músculos dos meninos por debaixo da blusa). Fomos começar a andar até que escutamos um grito agudo vindo de trás de nós.

       - BÍA! - berrou Derek.

       Bía havia sido capturada por um... um bando de ciclopes. Corremos em direção a eles, Mike e Nice voaram e os atacaram por cima. Tinha pelo menos uns 20 ciclopes (ou mais) e em poucos minutos estávamos todos cercados. E então, fomos atacados.





Continua...








Oie, meus cupcakes!!!! =D
Eu sei, podem brigar comigo, faz tempo que não posto! :3
Mas vejam pelo meu lado: eu estou devendo nota em 4 matérias, estou em semana de prova, estou a um passo de ter que mudar de escola. =s Nem devia estar aqui, estou postando escondido!
Mas ok, pelo menos postei não é? 
Acabei de ver que temos um Boylieber lendo o blog!!! *-*
Seja bem-vindo!! =D
E não só ele, mas todos os novos leitores. =D
Enfim, vamos responder aos comentários.

Respondendo aos comentários das lindas:
nana !♥! - awn... e sem problemas, gatinha! ;) I love you more! <3
Girl Of Potatos - awn.... *-* kkkkkk e ok Caah, ja continuei! ;D
Isabella Conte - ¬¬' chata!

CONTINUA COM 3 COMENTÁRIOS!
Genteeeeeee, hoje a minha amiga e o namorado dela (meu "maninho") fazem um ano de namoro!!!! *----*
PARABÉNS PRA ELES!!! (é a quarta ou quinta vez q digo isso hoje kkkk)
Beijinhos com SWAG pra vocês!!! <3
Isa e @ClaraVeras